Turismo Sustentável e Arquelógico. Andriele Martins, Evelin Felippe, José Tissiani, Mariela Fabris – 2011

 

 

Turismo cultural

 

 

O turismo arqueológico pode ser entendido a partir da associação da Arqueologia e o Turismo. Surgiu, de forma organizada e planejada, como uma

alternativa para a difusão do conhecimento relacionado às pesquisas e aos

achados arqueológicos, assim como a própria Arqueologia em si.

                                                                                           (Widmer-2009)

 

Pesquisas ao longo da história tentam preencher lacunas constantes na mente humana. Esporadicamente são descobertos artefatos deixados pelos nossos antepassados, os chamados sítios arqueológicos têm a função de criar elos entre o passado com o presente, com o intuito de esclarecer a cadeia evolucionaria ou entender os costumes humanos locais estes são uma importante ferramenta de turismo, especialmente voltado à jovem em idade escolar e a pessoas com discernimento histórico.

 

O turismo é um mecanismo de desenvolvimento da cidade, sua definição pode moldar a região em abrangência tornando-a pólo sobre o assunto. È importante que as políticas por parte das políticas publicas incentivar este tipo de desenvolvimento, uma vez que através deste a cultura local é preservada alem de fortalecer a identidade da comunidade com o patrimônio, diminuindo o êxodo dos locais que recebem o turismo cultural arqueológico.

 

o segmento pode torna-se um aliado no desenvolvimento de

localidades e atrativos turísticos que atendam a essa demanda, que relaciona-

-se especificamente com o Turismo Cultural, devido seus aspectos de caráter

histórico-cultural. (Ministério do turismo, 2010)

 

É importante conscientizar a comunidade a respeito dos sítios para tanto uma solução seria parcerias entre os órgãos públicos reguladores e a iniciativa privada. Atualmente o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) trabalha em pareceria com o Museu do Sambaqui de Joinville afim de orientar a região norte do estado sobre a importância da preservação do sambaqui.

 

A cultura local transcende o tempo, é importante por parte da população entender sua história e de sua região. Os sambaquis são um grande potencial arqueológico que deve ser explorado, uma vez que se for seguido um plano de manejo correto este pode ser um meio lucrativo de captação de renda local através de artesanato e do aquecimento do comercio por conta dos turistas.

 

 

Turismo Ecológico

 

O ecoturismo busca conciliar o fluxo de turistas, que sempre é impactante juntamente com a preservação da natureza .

Geralmente o ecoturismo ocorre em regiões controladas pelo estado ou por ONGs, onde é criado todo um planejamento voltado para esta função.

Para este tipo de turismo é necessário uma preparação muito mais minuciosa que dos outros tipos de turismo, já que o planejamento inicia-se com estudos de impacto ambiental, estimativas, monitoramentos e avaliações constantes sobre a região e suas capacidades.

Neste tipo de turismo é necessário um cuidado rigoroso com o uso do solo, de maneira que cada função seja cumprida e que o principal objetivo: a apreciação da natureza, seja feita com consciência e respeito.

 

Conforme artigo (Beni Wesley Bridght 1999), para que o turismo seja classificado como Ecoturismo são necessários quatro aspectos básicos:

 

– Respeito as comunidades locais;

– Envolvimento econômico com as comunidades locais;

– Respeito as condições naturais;

– Conservação do meio ambiente e interação educacional.

 

Basicamente é necessário que o turista envolva-se com a região de maneira que leve o aprendizado para sua vida com a consciência de preservação.

 

Segundo EMBRATUR (2002), para que o ecoturismo de uma região obtenha sucesso são necessário alguns itens básicos de planejamento:

 

– Seleção de áreas intencionais;

– Projetos de infra-estrutura com execução e controle;

– Estudo da demanda de turistas e ofertas de serviços na região.

 

Atualmente este ramo de turismo é um dos mais crescentes e divulgados pela mídia. Nem sempre, ou melhor, na maioria das vezes o publico que busca o ecoturismo, não são apenas ambientalistas, porem pessoas que tentam fugir dos grandes centros urbanos, buscando nessas trilhas uma oportunidade de convivência com a natureza,  desta maneira é possível passar adiante um pouquinho mais de conscientização para este mundo tão urbanizado e fechado em volta de suas.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s